…::: AUTISMO – Uma Abordagem Pedagógica :::…

POR: COLUNISTA PORTAL – EDUCAÇÃO

Antes de explorarmos maneiras eficazes para uma educação especial para crianças com autismo, vamos tentar entender um pouco sobre o caso: O Autismo é uma alteração cerebral que afeta a capacidade da pessoa de se comunicar, conseguir estabelecer relacionamentos e responder apropriadamente ao ambiente.

Algumas crianças apesar de autistas apresentam inteligência e falas normais, podendo até a descobrir que possui o autismo depois de adulto. Já em outros casos apresentam também retardo mental, retardos no desenvolvimento da comunicação ou até mutismo. Alguns apresentam rígidos padrões de comportamento, se fecham e se passam grande parte distante ou presa a comportamentos restritos.

Muitas vezes os pais quando descobrem que o filho possui autismo tentam acreditar e manter a esperança de que o filho irá recuperar-se completamente. Algumas famílias negam o problema. A dor sentida, como seres humanos pode ser superada, nunca extinguida, mas existe possibilidades de uma educação infantil bem trabalhada para que a vida possa seguir o seu curso com menos aflição, para a criança e consequentemente para a família.

Não há medicamentos que tratem o autismo, mas muitas vezes elas são usadas para combater algum efeito específico, como a agressividade ou os comportamentos repetitivos por exemplo. É importante saber se o aluno que ingressar na escola faz uso de algum medicamento ou algum acompanhamento de um profissional de saúde mental.

Antes da inclusão de uma educação especial em qualquer instituição de ensino, vale a pena um treinamento com os profissionais para que a finalidade da educação seja aplicada da melhor maneira, assim como deve haver um planejamento das atividades rotineiras e uma medição do progresso que a criança apresentar.

Atualmente não se pensa mais no autismo como algo sem cura. A criança deve ser motivada para que possa ter um desempenho desejado na escola, mostrando para elas que podem se relacionar com a sociedade.

Quando crianças autistas  ingressam em escolas ditas “normais”, é importante que a criança não seja isolada das demais, pelo contrário, ela deve ser inserida junto as demais crianças para que com o passar do tempo o pedagogo possa desenvolver tarefas e medidas cabíveis para um processo satisfatório.

Os especialistas no assunto já dizem que é muito importante retirar o autismo da escuridão que se encontram e trazer para a luz da sociedade. Inserir o tema de maneira consistente para que os pedagogos possam ajudar a sanar o preconceito e a melhorar o desenvolvimento e a qualidade de vida dessas crianças.

Existem muitas coisas que podem ser feitas para o autista, e ela não precisa ir a uma escola que atende somente crianças com este problema, elas podem sim conviver com as outras crianças e assim desenvolver as suas habilidades igualmente com as demais crianças da escola.

O profissional que atender estas crianças devem acreditar que o aluno tem potencial para aprender e o mais importante, o educador deve entender que este aluno enxerga o mundo de uma forma diferente, mas que ele vive no nosso mundo. Seguindo estes passos, o pedagogo poderá atender crianças autistas junto com as demais sem problemas, e junto com a família poder fazer com que a criança tenha uma vida normal como todas as outras.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s